ArtigosDestaquesEntrevistasLutasMatériasNotíciasPopulares

Nota de Repúdio: O Brasil é o país que mais mata pessoas trans no mundo

Nota de Repúdio: O Brasil é o país que mais mata pessoas trans no mundo.
Apenas em 2020, 175 foram assassinadas, representando um aumento de 41% em relação a 2019.

A transfobia está presente na estrutura social e entender e lutar contra isso diariamente é tarefa de todas e todos nós. Esse aumento da violência e da intolerância se dá, sem dúvida alguma, a atual conjuntura que estamos vivendo, pois com o aumento do discurso de ódio por parte das lideranças políticas e o crescente aumento das características fascistas que se mostram mais presentes e cada vez mais perto de nós, temos atravessado tempos cada vez mais perversos e desumanos na nossa sociedade.

No último dia 26 de junho, o Grêmio Estudantil Voz Ativa do IFRJ – Campus Nilópolis, organizou um evento virtual cuja temática foi o Mercado de Trabalho e a Comunidade Trans. A palestrante convidada para o evento, Ágatha Íris, teve a interrupção da sua fala por parte de criminosos, preconceituosos e fascistas que invadiram a sala virtual e fizeram inúmeras agressões, inclusive ameaças contra a vida dela. Um dos comentários removidos indicava inclusive o endereço da vítima.

Ágatha Íris é atriz, travaturga, escritora, além de discente do IFF – Campus Cabo Frio, integra o Movimento Negro Perifa Zumbi e é coordenadora do Movimento de Mulheres da Região dos Lagos. É ativista e artivista transfeminista, bolsista do projeto de arte e cultura IFFcena e membra do projeto de extensão Clube de Debates, diretora de cultura do Grêmio Síntese e membra da UJR. Atualmente é filiada ao grupo Iguais, idealizadora do projeto Transbabado vinculado a plataforma do Instagram e está na luta pela representatividade tranvestigênere nos espaços da arte da cena com a Movimenta Nacional de Artistas Trans.

Ágatha Íris é exemplo de resistência e luta, numa conjuntura que nos obriga cada vez mais a gritar diariamente pela igualdade de direitos, pela diversidade, pela tolerância e pelo respeito à vida de cada pessoa! Finalizamos expondo todo nosso repúdio a essa agressão sofrida pela companheira Ágatha Íris! Estamos juntos e juntas e fascistas não passarão!

Saudações de luta!

Direção Executiva do SINTIFRJ – Biênio 2021/2023

Compartilhe!