DestaquesEntrevistasLutasMatériasNotíciasPopularesÚltimas

Nota de repúdio contra o retorno presencial das servidoras e servidores do IBC

O Instituto Benjamin Constant (IBC) é referência nacional na educação e capacitação profissional de pessoas cegas, com baixa visão, surdocegas ou com outras deficiências associadas à deficiência visual.

Nós, do SINTIFRJ repudiamos veementemente a atitude autoritária e covarde do atual Diretor-Geral e presidente do Comitê Operativo de Emergência do Instituto Benjamin Constant (IBC), João Ricardo Melo Figueiredo, que determina o retorno presencial das servidoras e servidores desta tão importante instituição federal de ensino, em plena pandemia e sem garantia de reais condições sanitárias, aliás é bom lembrar que falamos de servidores e servidoras que em sua maioria nem tomaram a segunda dose da vacina contra o Covid-19 ainda.

Faltando uma semana para o período de férias escolares, em 17/06/2021, servidores do IBC receberam o comunicado que no retorno das férias, mais precisamente em 12/07/2021 deveriam retomar ao trabalho de forma presencial. Importante destacar que na data do comunicado aos servidores, o Estado do Rio de Janeiro classificava o risco de infecção em alta de transmissão, bandeira vermelha, como citou o consórcio de veículos de imprensa a partir dos dados das secretarias de saúde do Estado.

Como podemos perceber, as atitudes desta Direção do IBC são incompatíveis com a preservação da vida.

Servidores e servidoras se manifestaram em carta pública sobre as especificidades e realidade do IBC e destacamos essa parte: “dadas as especificidades da instituição, as situações de ensino e aprendizagem não podem se dar com o devido distanciamento social, pois os deficientes visuais – tanto os cegos quanto os de baixa visão necessitam da proximidade do docente e de cuidadores, sem falar na leitura tátil, por meio da qual se aprende o braile. Nossa comunidade escolar, em sua grande maioria, sobretudo os alunos, responsáveis e reabilitandos, mora na Baixada Fluminense e Zona Oeste da Capital necessitando dos transportes públicos (lotados – e das baldeações: trem-ônibus; trem-metrô-ônibus) para chegar até a sede do Instituto.”, mas mesmo assim a atual Direção-Geral não repensou, não discutiu com a comunidade e de maneira autoritária determinou o retorno presencial no próximo 12/07.

Nos colocamos à disposição para todo apoio jurídico, político e de luta a estas(es) servidores federais da educação tão importantes para nossa sociedade! Não podemos expor a comunidade do IBC ao risco como sugere a atual Direção se apoiando em uma recomendação distorcida do MP-RJ.

Defendemos o retorno presencial da educação apenas quando toda comunidade estiver vacinada e quando a instituição garantir, além de protocolos de monitoramento constante da comunidade, reais condições sanitárias, do contrário é sugestão de genocídio e disso BASTA! Chega!

NÃO AO RETORNO PRESENCIAL! Viva o IBC! Negacionistas não passarão! #SomosTodosibceanos

Saudações de luta!

Direção Executiva do SINTIFRJ – Biênio 2021/2023

Compartilhe!