ArtigosLutas

1º de maio – Dia Internacional de Luta da Classe Trabalhadora

1º de maio é o Dia de Luta da Classe Trabalhadora. Mais do que uma data a ser comemorada, é um dia para lembrar a luta de todas(os) as(os) trabalhadoras(es) por melhores condições!

Celebrada em vários países ao redor do mundo, a data de hoje remete à greve geral por melhores condições ocorrida nos EUA em 1º de maio de 1886, que paralisou os parques industriais da cidade de Chicago e teve conflitos violentos, forte repressão policial e mortes de dezenas de trabalhadores.

Aqui no Brasil, o movimento dos trabalhadores se intensificou em 1917, quando na cidade de São Paulo houve uma das maiores greves gerais já registradas. Em 1924, o então presidente Arthur Bernardes seguindo o que já era usual em várias partes do mundo, instituiu o Dia do Trabalhador no Brasil, tornando feriado o dia 1º de maio.

Mais tarde, no dia 1º de maio de 1943, foi instituída na gestão Getúlio Vargas, através do Decreto-Lei nº 5.452, a Consolidação das Leis do Trabalho. A CLT é considerada uma das maiores conquistas trabalhistas. Apesar de muitas vitórias ao longo dos anos, os direitos dos trabalhadores ainda são negligenciados. O avanço neoliberal gera cada vez mais desemprego e informalidade na medida que flexibiliza as relações de trabalho e impõe um grande retrocesso no que já estava consolidado para garantir a dignidade da classe trabalhadora.

De acordo com o IBGE, o desemprego hoje no Brasil atinge 11,2%, isto é, 12 milhões de pessoas. E nesses últimos anos tivemos muitas derrotas, com reformas que retiram direitos, como a trabalhista em 2017, da previdência em 2019, e recentemente a ameaça de uma reforma administrativa, na forma da PEC 32/2020, que quer prejudicar o funcionalismo público, cuja entrada em pauta para votação no Congresso foi barrada com muita luta dos servidores(as).

Nesse momento, o que cabe é ir à luta! O SINTIFRJ esteve nesses últimos dias 27 e 28 de abril realizando diversas atividades dentro e fora dos campi pela recomposição da inflação de 19,99% e a não precarização da nossa rede em defesa do serviço público. 

Reajuste é direito! E de nossos direitos não vamos desistir!

Saudações à luta!

Direção Executiva – Biênio 2021-2023

Compartilhe!